FIQUE LIGADO: CONFRONTO ENTRE MORADORES E POLICIAIS NO LAVRAS, FALTA ÁGUA EM NOVOS CONDOMÍNIOS, E OUTRAS NOTÍCIAS

December 20, 2017

MANIFESTAÇÃO POR FALTA DE ÁGUA GERA CONFLITO NO LAVRAS

Protestando pela falta crônica de água nos apartamentos no Condomínio Lavras, na avenida José Brumatti (antiga Estrada dos Lavras), em Guarulhos, dezenas de moradores fecharam a avenida nesta terça-feira (19), o que resultou em confronto com a Polícia Militar que compareceu em 12 viaturas, com o choque, e usou bombas de gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes. Não há informação de feridos.  A manifestação se estendeu das 15 horas até cerca de 22 horas. O condomínio, inaugurado há um ano, tem 73 torres e nele moram 1.460 famílias. Segundo laudo do SAAE, a falta de água nos apartamentos se deve à insuficiência da tubulação interna do condomínio, reduzida demais para abastecer os reservatórios no tempo em que funciona o abastecimento externo. 

 

SEGUNDO MORADORES, NINGUÉM CONSEGUE RESOLVER A CRISE DE ABASTECIMENTO

O Condomínio Lavras, feito para moradores de baixa renda, foi destinado a famílias vindas da antiga favela da Hatsuta, no Cecap; ou da São Judas, na Cidade Industrial Satélite de Cumbica; ou das proximidades do rio Tietê, no Jardim Guaracy, Vila Laurita, Ponte do Itaim; ou da FURP, na Tranquilidade. O SAAE alega que o problema é dentro do condomínio. A construtora Libe alega que entregou as obras conforme o projeto. A Caixa Econômica Federal alega não mais ter responsabilidade sobre o imóvel. A administração do condomínio alega não ter recursos para fazer obras corretivas e que o abastecimento externo durante 2 ou 3 horas nos dias ímpares não consegue encher as caixas d’água adequadamente dimensionadas.

 

NOVOS E GRANDES CONDOMÍNIOS TRAZEM CONSIGO GRANDES PROBLEMAS

Além de abastecimento insuficiente de água, os novos e grandes condomínios como o do Lavras, tem outros problemas internos e problemas resultantes na região onde foram construídos. Neste do Lavras, há apenas 612 vagas de estacionamento, menos da metade do número de apartamentos. Há uma só entrada e saída, o que ocasiona engarrafamentos.  Muitos moradores perderam suas fontes de renda pelo deslocamento das regiões onde antes habitavam. Os serviços públicos da região do Lavras ficaram super demandados: ônibus ficam superlotados nos horários de pico; a UBS ficou pequena com a nova leva de famílias; não há vagas suficientes na creche. Para travessia para as escolas estaduais não tem semáforo na avenida gerando perigo para crianças e adolescentes. Novos problemas de segurança repercutiram na região.

 

PORTAL FLORA NA VILA CARMELA VIVE MESMOS DRAMAS

O Portal Flora na Vila Carmela, Bonsucesso, com 1.500 apartamentos, também inaugurado no ano passado, vive problemas semelhantes ao Condomínio Lavras. A tubulação interna é subdimensionada para abastecer os prédios. Numa parte deles, especialmente os residenciais Falboyant e Ipê, a pressão externa da água é insuficiente para o abastecimento. O SAAE propõe uma nova caixa d’água subterrânea e a instalação de tubulações internas de maior diâmetro. Como ocorre no Condomínio Lavras, os moradores não têm recursos suficientes para as obras, a construtora, no caso Qualyfast alega ter entregado as obras conforme o projeto, e a Caixa Econômica alega não ter mais responsabilidade sobre o condomínio. Além disso, no Portal Flora, alguns prédios apresentaram rachaduras, e as carências de serviços públicos na região são similares às do Lavras.

 

 

DESPEJOS EM GUARULHOS : REUNIÃO ONTEM (19) COM JUIZ DIRETOR DO FÓRUM

O juiz diretor do Fórum de Guarulhos, Dr. Lincoln de Andrade Moura, recebeu, nesta terça (19), representantes do Fórum de Moradia que reúne 14 entidades populares, acompanhados de parlamentares do PT, para dar continuidade às tratativas relacionadas às ações judiciais de despejo de milhares de famílias em todas as regiões da cidade. O juiz diretor comunicou que o presidente do Tribunal de Justiça reportou a ele a necessidade de implementar um diálogo de juízes, promotores públicos, Prefeitura, defensores públicos, representantes de movimentos sociais e dos moradores, além de parlamentares que têm acompanhado estas questões. O objetivo é encontrar solução adequada e consensuada às centenas de processos de despejo de comunidades que correm no Fórum de Guarulhos por iniciativa do Ministério Público. Segundo o diretor do Fórum, cerca de 18 processos estão com prazo de remoção expirados ou em vias de isso acontecer. Ele alertou para a necessidade de acompanhar de perto estes processos, cuja execução pode acontecer no curto prazo. O recesso do Judiciário tende a transferir para janeiro o diálogo em construção.

 

RECESSO JUDICIAL COMEÇA NESTA QUARTA (20)

Notícia importante para famílias ameaçadas de despejos em massa e para todos que têm processos judiciais. Ontem (19) foi o último dia do ano de funcionamento normal do Poder Judiciário, estadual e federal. A partir desta quarta (20) só funciona o plantão para casos urgentes. Os prazos judiciais estão suspensos na Justiça Estadual de 20 de dezembro até 19 de janeiro, e na Justiça Federal até o dia 20. Os prazos que se interrompem no fim de semana, só voltam a ser contados a partir de 22 de janeiro, segunda-feira. Os cartórios judiciais fecham para o público e só funcionam para expediente interno. Neste período, não há julgamentos, publicação de decisões, acórdãos ou sentenças, nem intimações. Excetuam-se apenas os casos urgentes, a critério do juiz ou desembargador de plantão. Aí que reside o perigo para os casos de despejo que não foram suspensos nos recursos feitos ao Tribunal de Justiça e que estão com prazos vencidos. Presume-se que a sensibilidade dos juízes não leve a medidas neste período de festas de fim de ano.

 

 

 

GOVERNO CONSERVADOR DA ARGENTINA APROVA REFORMA DA PREVIDÊNCIA

O presidente argentino de centro-direita, Maurício Macri, conseguiu aprovar no Congresso Nacional na noite de ontem (19) a reforma da previdência que ocasionou grandes manifestações populares de protesto. Por 128 votos a 116 a Câmara de lá aprovou as mudanças já antes decididas no Senado. O saldo dos protestos deixou 162 feridos entre manifestantes e policiais. Nos bairros houve os panelaços de protesto. Pela reforma, entre outras mudanças, os benefícios da previdência e de uma espécie de Bolsa Família argentina serão reduzidos. Quem se aposentar com 30 anos de contribuição receberá 82% do salário mínimo, que na Argentina gira em torno de R$ 1.500,00. Era antes obrigatório se aposentar aos 65 anos de idade. Agora passa a ser aos 70 anos. No Brasil, a votação da reforma trabalhista proposta pelo governo do interino Temer ficou para fevereiro.

 

Saiba mais em GRU360.com

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

© 2017 gru360 / Aqui Guarulhos se encontra em 360 Graus 

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now