Ativistas e entidades organizam ato em defesa da saúde de Guarulhos


Entidades e ativistas ligados a Saúde, organizam ato em defesa da Saúde pública para o próximo dia 20 de fevereiro.

O grupo alega que a atual gestão da prefeitura de Guarulhos, não tem cumprido a lei do REMUME, e deixando em falta diversos medicamentos de atenção básica para a população, conforme alega Pedro Gomes, ex- conselheiro municipal de Saúde e um dos organizadores do ato.

O REMUME é a Relação Municipal de Medicamentos Essenciais - é um dos marcos da instituição do Sistema Municipal de Assistência Farmacêutica, que engloba ações desde a seleção de produtos farmacêuticos até o momento de sua utilização pelo usuário do Sistema Único de Saúde (SUS) no município, e serve como base para orientar a aquisição de produtos eficazes e seguros, a prescrição e a dispensação, constituindo a melhor gerência para os recursos públicos que devem ser aplicados de modo equânime. Pedro Gomes afirma que atualmente são cerca de 50 por cento o número de medicamentos em falta na rede pública municipal, sendo que os medicamentos devem estar a disposição da população segundo a lei.

O grupo também elaborou um documento que será encaminhado ao Ministério Público notificando a atual gestão e exigindo o cumprimento da lei, prevendo sanções judiciais se caso não cumprido, e será encaminhado ao MP no dia do ato.

O ato conta com o apoio do Padre Berardo da diocese de Guarulhos e de atuais conselheiros municipais de saúde, com concentração na praça Getúlio Vargas as 14:30, na próxima terça feira dia 20, e seguirá em passeata para a sede do Ministério Público, onde será protocalada as denúncias do movimento