© 2017 gru360 / Aqui Guarulhos se encontra em 360 Graus 

FIQUE LIGADO: COLETA DE LIXO EM GUARULHOS TEM ALTA TECNOLOGIA E POUCA EFICIÊNCIA, DEPUTADO ESTADUAL AURIEL PEDE AFASTAMENTO DO PT E MAIS NOTÍCIAS

April 4, 2018

MESMO COM INOVAÇÃO TECNOLÓGICA, COLETA DE LIXO EM GUARULHOS NÃO TEM AGRADADO A POPULAÇÃO

Toda semana, são muitas as reclamações em mídias sociais sobre a coleta de lixo em Guarulhos. Muitos reclamam que o horário da coleta está irregular e que isso faz com que os sacos de lixo ficam muito tempo nas ruas para serem recolhidos e, nesse tempo, muitos acabam sendo abertos espalhando o lixo. Outros reclamam na demora para a realização da coleta, o que no caso de algumas feiras leva mais de um dia. A Trail Infraestrutura, empresa responsável por esse serviço na cidade, informou que implantou um sistema eletrônico que permite acompanhar em tempo real, por meio de rastreadores, o horário em que cada caminhão que faz a coleta passa nas ruas da cidade. Aparentemente, a qualidade das informações não está refletindo na execução do serviço.

 

DEPUTADO ESTADUAL AURIEL PEDE AFASTAMENTO TEMPORÁRIO DO PT

Em reuniões realizadas nesta semana em Guarulhos com a Comissão Executiva Municipal do PT mais vereadores/as petistas da Câmara de Guarulhos, e, em São Paulo, com a Comissão Executiva Estadual do PT e com seus colegas do PT na Assembleia Legislativa, o deputado estadual Auriel Brito anunciou seu pedido de afastamento do partido até que se esclareçam as acusações de assédio sexual feitas contra ele. Em nota, a presidenta municipal do PT, vereadora Genilda Bernardes, declarou que não aceita qualquer forma de desqualificação da vítima, ao mesmo tempo em que espera ser garantido ao acusado o direito de defesa.

 

MESMO SOB SEGREDO DE JUSTIÇA, B.O. FOI VAZADO À IMPRENSA LOCAL

Para ouvir a versão da mulher que acusa o deputado, a vereadora Janete Pietá, Procuradora Especial da Mulher na Câmara de Guarulhos, buscou acessar o Boletim de Ocorrência feito na Delegacia da Mulher. Seu pedido foi negado pela delegada, com o argumento de que está em segredo de Justiça, sendo apenas acessível aos advogados das partes. O problema é que na imprensa local foi publicada uma versão que teria como fonte o documento registrado na delegacia. Segundo a delegada, há agora duas investigações em andamento: uma sobre os fatos narrados no BO; outra sobre quem teria vazado seu conteúdo.

 

SOBEM AS AMEAÇAS DOS MILITARES SOBRE O PODER CIVIL

O comandante do Exército, general Villas Boas, mandou uma mensagem pressionando a cúpula do Poder Judiciário a interpretar a Constituição segundo a visão do militar no sentido de manter a ordem imediata de prisão ao ex-presidente Lula. Com isso o Exército quis dizer que, como fez no golpe militar de 1964, pode assumir o papel de guardião da Constituição segundo sua própria interpretação dela. Diante de reações civis contrárias a esta interferência, alguns generais declararam à mídia: “Se todos podem se manifestar, o comandante do Exército também pode”. A diferença é que os civis que se manifestam não tem canhões, tanques, aviões e navios de guerra, nem comandam centenas de milhares de homens armados sob vertical e rígida disciplina. O problema também é que na história brasileira muitas vezes os militares derrubaram o poder civil. No caso mais recente, ficaram 21 anos impondo cinco generais seguidos no poder supremo de presidente da República. Continue lendo depois da propaganda...

COMPLETOU CINCO ANOS A EXTENSÃO DOS DIREITOS TRABALHISTAS ÀS DOMÉSTICAS

Ontem completou cinco anos (foi em 3 de abril de 2013) que começou a vigorar a emenda à Constituição Federal que estendeu todos os direitos trabalhistas às trabalhadoras domésticas e seus colegas homens. Tiveram que esperar 70 anos para se igualar em direitos aos outros trabalhadores urbanos. As estatísticas do Ministério do Trabalho indicam, porém, que a imensa maioria de quem trabalha neste setor ainda não tem acesso aos direitos porque não tem carteira assinada. Os cálculos indicam que há no Brasil 6 milhões e 300 mil pessoas que prestam serviços domésticos a outras famílias. Porém, apenas 1 milhão 850 mil têm carteira de trabalho assinada, e portanto acesso aos direitos trabalhistas integrais. Para a vida real chegar na lei há ainda muita estrada a percorrer.   

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload