© 2017 gru360 / Aqui Guarulhos se encontra em 360 Graus 

FIQUE LIGADO: QUASE MIL EMPREGOS CORTADOS EM GUARULHOS EM JUNHO, INFLAÇÃO DE JUNHO É A MAIS ALTA DESDE 1995, DESPEJOS EM MASSA E MAIS NOTÍCIAS

July 24, 2018

Escrito por Elói Pietá

QUASE MIL EMPREGOS CORTADOS EM GUARULHOS NO MÊS DE JUNHO

O desemprego cresceu para quem tem mais de 25 anos e trabalha em Guarulhos. É o que mostra o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho. Foram cortados em junho 949 vagas de emprego com carteira assinada de pessoas com mais de 25 anos. Cerca da metade destas demissões foram cobertas por pessoas entre 17 e 25 anos. A outra metade foi de supressão de vagas. Continua a tendência de demissão de pessoal com mais idade para admissão de pessoal mais jovem com salário mais baixo. Só o setor de serviços se salvou fazendo crescer em uma centena e meia o número de vagas. A indústria, a construção civil e o comércio suprimiram postos de trabalho em Guarulhos no mês de junho. 

 

PROMOTOR PÚBLICO ADOTA DIÁLOGO NO CASO DOS DESPEJOS EM MASSA

Mudou o promotor público em Guarulhos que cuida das 94 ações judiciais que resultaram em ordem judicial de despejo de cerca de 5 mil famílias no ano passado. O novo promotor Cláudio Teixeira adotou como método o diálogo com a Prefeitura, com representantes de moradores, de movimentos de moradia e parlamentares. Nesta segunda (23) houve reuniões entre todas as partes para as áreas do Monte Alto (Cabuçu), Ponte Alta, e Nova Cumbica. Nas duas primeiras, já houve perícia judicial que foi na linha da retirada de famílias consideradas em áreas de risco, com o que parece concordar o promotor e a Prefeitura. No último caso (Nova Cumbica) a tendência é abrir um prazo de anos para que a Prefeitura faça a urbanização e junto à promotoria avalie os casos mais graves. O promotor Cláudio é guarulhense e já foi professor em escola próxima à área do Jardim Nova Cumbica.

 

NO BRASIL CINCO MILHÕES DE PESSOAS PASSARAM PARA O SERVIÇO INFORMAL

Os trabalhadores por conta própria estão sofrendo queda de renda nos últimos anos por dois motivos: a concorrência maior entre os trabalhadores autônomos e a retração nas compras devido à queda generalizada na renda das classes populares. Segundo divulgou o IBGE, o número dos que perderam seus empregos com carteira assinada e migraram para a informalidade nos últimos anos foi de 5 milhões de pessoas. Boa parte desta população não consegue contribuir com o INSS e terá dificuldades maiores para se aposentar no futuro. Os novos trabalhadores por conta própria chegam a ganhar no novo serviço informal  de 33% a 41% a menos de quem já estava neste serviço. O IBGE considera que há 23 milhões de pessoas trabalhando como autônomos no mercado informal no Brasil. 

 

ECONOMIA BRASILEIRA RECUOU 1,5% EM MAIO

A economia brasileira registrou retração de 1,5% em maio na comparação com abril, segundo dados do Monitor do PIB-FGV, divulgados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta terça-feira (24). Pela ótica da demanda, as quedas na passagem de abril para maio foram mais acentuadas nas atividades de consumo das famílias (-0,8%) e nos investimentos do capital privado (-11,7%). Na comparação contra maio do ano passado, a economia teve queda de 1,8%.

 

PRODUÇÃO DE VEÍCULOS DESPENCA EM MAIO E INFLAÇÃO DE JUNHO É A MAIS ALTA DESDE 1995

Também em maio, a produção industrial despencou 10,9%, enquanto a produção de veículos no Brasil caiu 15,3%. Já as vendas no comércio recuaram 0,6%, a primeira queda registrada neste ano. Enquanto isso, a inflação voltou a ganhar força. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu para 1,26% em junho, na maior taxa para o mês de junho desde 1995.

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload