FIQUE LIGADO: JUSTIÇA PROÍBE PREFEITURA DE GUARULHOS DE FAZER NOVAS CONTRATAÇÕES SEM LICITAÇÃO, FUNC


Escrito por Elói Pietá

JUSTIÇA PROÍBE PREFEITURA DE GUARULHOS DE FAZER NOVAS CONTRATAÇÕES SEM LICITAÇÃO PARA O ATERRO MUNICIPAL

A Prefeitura de Guarulhos foi proibida de fazer novas contratações emergenciais para gestão do Aterro Municipal a partir de 1.º de janeiro de 2019, após a Justiça aceitar denúncia por suposta violação de princípios administrativos que consta na ação popular nº 1018444-47.2018.8.26.0224. A atual gestora é a empresa Proactiva Meio Ambiente Brasil Ltda, do grupo francês Veolia, que administra também o aterro sanitário CDR Pedreira, em São Paulo. De acordo com a decisão do juiz Rodrigo Tellini de Aguirre Camargo, da 1.ª Vara do Foro de Guarulhos, a quinta contratação da gestão de Gustavo Henric Costa, o Guti, em regime emergencial, ou seja, com dispensa de licitação, configura “desídia e falta de interesse político para de fato promover o competente processo licitatório, meio legal e hábil para tanto”.

FUNCIONÁRIOS DA LIMPEZA DO HOSPITAL DA CRIANÇA DE GUARULHOS ESTÃO SEM RECEBER SALÁRIOS

O Hospital Municipal de Urgência (HMU) não é o único que tem problemas em Guarulhos. A Saúde de toda a cidade vive um caos. Os funcionários do Hospital Municipal da Criança e do Adolescente (HMCA), também estão com salários atrasados, porém, assim como o setor da limpeza, já que o Instituto Gerir, responsável pela administração do hospital não parece não ter feito o pagamento a empresa terceirizada da limpeza. Por isso, desde esta segunda-feira (06), o número de funcionários da limpeza foi reduzido e a limpeza está sendo realizada somente em algumas partes do HMCA, como na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e centro cirúrgico.

BRASIL

FEMINICÍDO CRESCE 54% NO BRASIL EM 10 ANOS

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), os números do feminicídio no Brasil chegam a quase 5 para cada 100 mil mulheres. O Mapa da Violência de 2015 aponta que, entre 1980 e 2013, foram mais de 106 mil pessoas que morreram por sua condição de ser mulher. As mulheres negras são ainda as que mais sofrem violência. Apenas entre 2003 e 2013, houve aumento de 54% no registro de mortes, passando de 1.864 para 2.875 nesse período. Meta das vezes são próprios familiares (50,3%) e um terço das vezes são os parceiros/ex-parceiros os que cometem os assassinatos.

ARGENTINA VOTA A LEGALIZAÇÃO DO ABORTO

A Argentina estará atenta ao Senado nesta quarta-feira. Os 72 parlamentares da câmara alta votam se legalizam o aborto voluntário até a 14ª semana ou o mantêm na clandestinidade, como crime punível com prisão, exceto em caso de estupro ou risco para a saúde da mãe. A iniciativa foi aprovada em junho pela Câmara dos Deputados, mas tudo indica que, se não houver surpresas de última hora, não passará no Senado.