© 2017 gru360 / Aqui Guarulhos se encontra em 360 Graus 

FIQUE LIGADO: ENTREGA DO SAAE GUARULHOS À SABESP TEM MUITAS LACUNAS, CHINA MANDA UM DURO AVISO AO PRESIDENTE BOLSONARO E MAIS NOTÍCIAS

October 31, 2018

ENTREGA DO SAAE GUARULHOS À SABESP DEIXA MAIS DÚVIDAS DO QUE CERTEZAS

O acordo da Prefeitura de Guarulhos com a gestão estadual deixou muitas lacunas, dúvidas e obscuridades, não tratadas na audiência pública burocrática realizada na sexta (26). Novas incertezas surgiram com a mudança do governo estadual em janeiro. A primeira questão não esclarecida: qual o valor do SAAE, que ficará por 40 anos nas mãos da SABESP? São adutoras, redes de água, dezenas de reservatórios, redes de esgoto, estações de tratamento, terrenos, prédios, equipamentos, veículos, etc, e, muito importante, o potencial de arrecadação deste serviço essencial para uma cidade de 1 milhão e 400 mil habitantes. Este valor até hoje não foi apresentado. Como então pode ser fechado o negócio?

 

DÚVIDAS TAMBÉM QUANTO AO TRATAMENTO DE ESGOTOS

Segundo afirmação do diretor para a Região Metropolitana, Paulo Massato, o Centro expandido de Guarulhos teria os esgotos tratados na estação de tratamento do Parque Novo Mundo. Acontece que nas tratativas anteriores, a SABESP alegava que o módulo atual não comporta esta nova carga. Teria que ser construído um novo módulo, o que não estava em cogitação. Além disso a gestão anterior assinou uma Parceria Público Privada para tratamento de esgotos que está em vigor, a quem caberia implantar uma estação própria de tratamento.

 

AUDIÊNCIA PÚBLICA NÃO ESCLARECE O DESTINO DOS FUNCIONÁRIOS

Entre os vários pontos obscuros, a audiência pública não esclareceu o que acontecerá exatamente com os mais de mil funcionários do SAAE. Aventam-se três hipóteses: um plano de demissão voluntária (PDV), a absorção pela Prefeitura dos que restarem, a cessão à SABESP dos funcionários que forem de interesse dela. A transferência para a Prefeitura gera uma insegurança jurídica. Pode ser contestada pelo Ministério Público, uma vez que não houve concurso público específico. E a eventual privatização da SABESP pelo novo governo traria incertezas suplementares.

 

A PROVÁVEL VOLTA DA DEPENDÊNCIA NORTE AMERICANA NA POLÍTICA E NO COMÉRCIO EXTERIOR

Nas primeiras horas como presidente eleito, Bolsonaro celebrou um trunfo: um imediato telefonema de boas-vindas de Donald Trump. O presidente dos EUA ainda escreveria horas depois um tuíte efusivo descrevendo como "excelente" a conversa com Bolsonaro. Era tudo que desejava o futuro mandatário de extrema direita, cuja meta é explorar, apesar das grandes diferenças, a ideia de que é um "Trump tropical" e construir uma relação preferencial com os norte-americanos como não havia desde os anos 60.

 

CHINA MANDA UM DURO AVISO AO PRESIDENTE BOLSONARO

O jornal estatal China Daily, espécie de braço de relações públicas controlado pelo Partido Comunista chinês, avisou em editorial: "Não há razão para que o 'Trump Tropical' revolucione as relações com a China". O texto afirma que Bolsonaro foi "menos que amigável" na campanha – o brasileiro já defendeu que a China não compra no Brasil, mas “o Brasil”.  Os chineses cobram que, como presidente, Bolsonaro aplique uma avaliação "objetiva e racional" das relações porque, do contrário, "o custo pode ser árduo para a economia brasileira". A China manteve um intercâmbio comercial da ordem de 75 bilhões de dólares no ano passado com o Brasil (20 bilhões de superávit brasileiro) e é a origem de vultuosos investimentos.

 

FUSÃO DE AGRICULTURA E MEIO AMBIENTE É SINAL DE QUE VAI PREVALECER OS INTERESSES DO AGRONEGÓCIO

O presidente eleito Jair Bolsonaro criará um superministério para cuidar da economia que unirá as pastas da Fazenda, do Planejamento e da Indústria e Comércio sob comando do economista Paulo Guedes. O deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS), futuro chefe da Casa Civil de Bolsonaro, também confirmou nesta terça-feira (30) que a futura gestão unirá as pastas da Agricultura e do Meio Ambiente. O que é um sinal de que os projetos do agronegócio terão supremacia frente as questões ambientais. 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload