© 2017 gru360 / Aqui Guarulhos se encontra em 360 Graus 

FIQUE LIGADO: PREFEITURA DEIXA DÚVIDAS SE TERMINA NESTA TERÇA CONSULTA PÚBLICA SAAE/SABESP, O SAAE ESTÁ SENDO REPASSADO À SABESP SEM SABER O VALOR DE SEU PATRIMÔNIO E MAIS NOTÍCIAS

November 19, 2018

 Foto: SAAE GOPOÚVA.  

 

PREFEITURA DEIXA DÚVIDAS SE TERMINA NESTA TERÇA CONSULTA PÚBLICA SAAE/SABESP

Um anteprojeto de contrato entre SABESP, a Prefeitura de Guarulhos e o Governo do Estado propõe que nesta terça (20) termine o prazo de consulta pública sobre a concessão à SABESP dos serviços de água e esgotos há mais de 50 anos prestados pelo SAAE em Guarulhos. Como não houve publicidade, essencial a uma consulta pública, presume-se que não está valendo esta data sugerida após a esvaziada audiência pública sobre o assunto que aconteceu em 26 de outubro. Mas a Prefeitura precisa esclarecer esta dúvida, uma vez que a minuta do contrato que circulou internamente colocava este dia 20 como prazo final.

 

O SAAE ESTÁ SENDO REPASSADO À SABESP SEM SABER O VALOR DE SEU PATRIMÔNIO

Pelo anteprojeto de acordo para transferência do serviço municipal de abastecimento de água e da rede de esgotos de Guarulhos à SABESP, uma empresa público/privada estadual, as partes terão um ano para calcular o valor dos bens e direitos pertencentes ao SAAE e ao município. Ninguém sabe ainda o valor das estações de captação e tratamento de água, das adutoras e redes subterrâneas, dos reservatórios, dos terrenos, das instalações, dos prédios, dos equipamentos, das máquinas, dos veículos, das redes de esgoto, das estações de tratamento. Ninguém sabe ainda o valor estimado do direito de tocar o negócio da distribuição de água tratada e da coleta e destinação do esgoto para uma cidade de 1 milhão e 400 mil habitantes.  

 

CRESCE O PERIGO DE COLAPSO NO ATENDIMENTO MÉDICO EM MUITAS CIDADES

Além dos 8 mil e 332 médicas e médicos cubanos que até o fim do ano voltarão ao seu país, mais outros 3 mil e 300 médicos podem deixar o programa Mais Médicos. Isto se o presidente eleito continuar exigindo a revalidação dos diplomas de médicos brasileiros que se formaram em medicina em outros países, e de médicos estrangeiros que vieram morar e trabalhar no Brasil. Por lei aprovada quando Dilma era presidente a revalidação de diplomas é dispensada para quem aderir ao Mais Médicos. Quando Bolsonaro era deputado ele havia tentado, sem êxito, obter no Supremo Tribunal Federal a exigência de revalidação. Já na época ele verberava contra os cubanos por razões ideológicas. Cerca de 700 cidades brasileiras ficarão sem médicos e centenas de outras, como Guarulhos, que já têm carência destes profissionais, aprofundarão a crise.

 

CARÊNCIA DE MÉDICOS EM NÚMEROS NO BRASIL

O Brasil tem em média pouco mais de 2 médicos por mil habitantes (2,2) enquanto Cuba se iguala em número de médicos por mil habitantes aos países mais ricos como Estados Unidos, Canadá, Inglaterra. Agrava-se o problema no Brasil com a maior carência de médicos no Norte e Nordeste do país (1,1 e 1,4 por mil habitantes) e nas periferias das grandes cidades. Os médicos brasileiros, com raras exceções, pertencem a famílias das classes média e alta, que, estudando em famosas escolas privadas, conseguem passar o funil dos cursos de medicina de universidades públicas ou pagar uma mensalidade de 7 mil reais em escolas privadas de medicina. Eles preferem, em imensa maioria, o conforto de sua classe nas grandes cidades, repudiando atender nas zonas rurais e de florestas, em pequenas e distantes cidades, e nos bairros mais simples das periferias.

 

TRAGÉDIA: MORTES EM BAILE FUNK EM GUARULHOS NO SÁBADO (17)

Três pessoas morreram pisoteadas durante um baile funk na madrugada do sábado (17) no bairro Vermelhão, na região de Pimentas em Guarulhos. Segundo moradores o tumulto ocorreu durante o show do MC Kapela quando o mesmo anunciou a chegada da PM. Haviam milhares de jovens no baile ao ar livre, que ocupavam ruas e um campo de futebol. O efeito manada se dirigiu a uma rua estreita do bairro onde muitos jovens foram atropelados pela multidão. Entre as vítimas estava uma moça grávida e seu marido que tentou socorrê-la. A Prefeitura de Guarulhos havia prometido em março impedir, através de ação conjunta da Guarda Civil Municipal com a Polícia Militar, este tipo de baile que se realiza nos fins de semana há vários anos. O evento não tem segurança nem infraestrutura adequada. Cria muitos transtornos às famílias que moram no bairro, perturbadas pela aglomeração de pessoas e pelo som alto que vara as madrugadas.

   

 

   

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload