© 2017 gru360 / Aqui Guarulhos se encontra em 360 Graus 

FIQUE LIGADO: PRIMEIRA SENTENÇA DOS PROCESSOS DE DESPEJO PRESERVA AS MORADIAS, SINDICATOS DE TRABALHADORES EM CRISE DEMITEM PESSOAL E MAIS NOTÍCIAS

December 14, 2018

Foto: cenas de cumprimento de uma ação de despejo em Guarulhos em 2017

PRIMEIRA SENTENÇA DOS PROCESSOS DE DESPEJO PRESERVA AS MORADIAS

Entre as ações de despejo em massa solicitados pelo Ministério Público em Guarulhos uma acaba de ser julgada em primeira instância mantendo os moradores em suas casas, mas determinando à Prefeitura uma série de obras no local no prazo de um ano. Trata-se de 22 casas consolidadas erguidas numa ocupação no Bananal, rua Lagoa Nova e Viela Porto Alegre. A decisão judicial cai sobre a Prefeitura que, sob pena de multa diária de 5 mil reais, fica constrangida a canalizar água e esgoto oficialmente, regularizar as ligações de energia elétrica, fazer a pavimentação, arborizar, despoluir córrego, limpar lotes vazios, retirar entulhos, e encaminhar a legalização do núcleo de moradias. O que não será tarefa fácil. Ainda mais porque estão para serem publicadas sentenças em dezenas de outros processos similares em andamento no Fórum de Guarulhos.

 

SINDICATOS DE TRABALHADORES EM CRISE DEMITEM PESSOAL

Os sindicatos de trabalhadores estão demitindo às dezenas os seus funcionários. A reforma trabalhista sufocando as receitas das organizações sindicais as enfraqueceu. O fim do imposto sindical afetou gravemente as finanças. Outra medida que derrubou a arrecadação destas entidades foi uma decisão do Supremo Tribunal Federal que acabou com a contribuição assistencial, 10% do primeiro salário dos trabalhadores após o reajuste na data base anual. Agora só pode ser descontado quem autorizar por escrito. O Sindicato dos Metalúrgicos de Guarulhos reduziu a contribuição assistencial para 3% e mesmo assim tem dificuldades de adesão. A receita certa que sobra para os sindicatos é a mensalidade de seus associados. O que é insuficiente para manter a estrutura que estas entidades formaram ao longo do tempo. A queda de arrecadação em muitos casos beira os 70%.

 

SERVIÇOS PRESTADOS PELOS SINDICATOS VÃO SENDO REDUZIDOS

A crise financeira dos sindicatos está reduzindo seus serviços e atividades. Lidar com reivindicações e acordos salariais é sua principal razão de ser. O maior dos sindicatos de Guarulhos, o dos metalúrgicos, tem cerca de 160 pessoas na sua folha de pagamento. Como os sindicatos patronais da área são dez, as negociações trabalhistas são demoradas e complexas. E, não havendo acordo com o sindicato patronal, as negociações têm que ser empresa por empresa. Mas, além disso, eles prestam assistência jurídica a seus associados em sua sede, têm médico do trabalho e convênios médicos mais baratos, têm cabeleireiros, colônia de férias, clube de campo, convênios com faculdades e farmácias e mais outros serviços. A redução de funcionários e serviços dos sindicatos vai pressionar ainda mais os serviços prestados pela Prefeitura e pelo estado.

 

NESTA SEXTA (14) TERMINA O PRAZO PARA APRESENTAÇÃO NO MAIS MÉDICOS

Com a saída dos mais de 8. 300 médicos cubanos pelas ameaças e ataques verbais à Cuba feitas pelo novo presidente da República, o atual governo abriu inscrição para 8.517 vagas de médicos nos país inteiro. Apenas cerca de 4.000 médicos brasileiros se apresentaram e nesta sexta (14) termina o prazo de apresentação no local de trabalho. O problema é que são normalmente médicos recém formados diferente dos cubanos que tinham cerca de dez anos de experiência na profissão. A partir de março, muitos destes quatro mil vão desistir das vagas quando começam as residências médicas para recém formados, ofertadas apenas nas grandes cidades onde estão as faculdades de medicina.

 

APENAS 66 CIDADES BRASILEIRAS CONCENTRAM METADE DE TODA A RIQUEZA PRODUZIDA NO BRASIL

Quase metade do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil em 2016 ficou concentrado em apenas 66 dos 5.570 municípios do país. Esses municípios, representam apenas 1,2% das cidades, mas abrigam um terço da população e responderam por cerca de 50% de toda a economia brasileira naquele ano. Seis destas cidades (São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Curitiba e Osasco), concentram 25% do PIB nacional. Esses números divulgados nesta sexta-feira (14) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostram que no Brasil existe uma brutal concentração populacional e uma ainda mais brutal concentração de riquezas em poucas cidades. 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload