© 2017 gru360 / Aqui Guarulhos se encontra em 360 Graus 

FIQUE LIGADO: ENCHENTES DIFICULTAM ACESSO DOS TRABALHADORES AO AEROPORTO, CONTINUA A CRISE NA SAÚDE DE GUARULHOS, BOLSONARO DIZ QUE LEI DEFENDE DEMAIS OS TRABALHADORES E MAIS NOTÍCIAS

January 7, 2019

GRUAIRPORT E ENCHENTES DIFICULTAM ACESSO DOS TRABALHADORES AO AEROPORTO

Milhares de trabalhadores acessam diariamente o aeroporto de Guarulhos pela Avenida Jamil Zarif, entre os bairros do Taboão e Haroldo Veloso/Cidade Seródio, na altura do bairro das Malvinas. Neste fim de semana as fortes chuvas fizeram transbordar o Rio Baquirivu e colocaram mais uma dificuldade para o acesso. A enchente passava por cima da ponte usada pelos pedestres (foto acima). As outras dificuldades têm sido criadas por medidas da concessionária GruAirpot. A primeira veio há vários anos: impedir a passagem de veículos da Avenida para a Rodovia Helio Smidt. Foram colocados obstáculos que tornam desconfortável até o trânsito de pedestres. A segunda medida restritiva foi recente: uma cerca vedou um atalho seguro dos trabalhadores ao Terminal 2, obrigando a fazer um longo e perigoso caminho margeando a Rodovia sem ter a segurança de calçadas. A terceira medida ainda é boato: o fechamento para os pedestres deste acesso que lhes faz economizar no mínimo uma hora todos os dias. Confira essa dificuldade no vídeo abaixo: 

CHUVA TAMBÉM PROVOCOU OUTROS TRECHOS DE ALAGAMENTO EM GUARULHOS

A chuva que caiu neste domingo, mais uma vez revelou um problema cotidiano da cidade que são os alagamentos. Muitas ruas da cidade tiveram pontos de alagamento, como alguns trechos da Avenida Otávio Braga de Mesquita, Brigadeiro Faria Lima e da Jamil João Zarif (foto).

 

 PROSSEGUE A CRISE CRÔNICA DA SAÚDE DE GUARULHOS

Neste domingo (6), a Policlínica Paraventi estava mais uma vez sem médicos. Também neste domingo, a UBS Primavera completou um mês sem médico. A UBS Primavera atende os bairros Parque Primavera, Vila União e parte do Santa Edwiges. São mais de 20 mil moradores sem atendimento. Na noite deste sábado (5), teve uma manifestação em frente ao P.A. Dona Luiza, devido às constantes falta de médicos. Para completar o quadro do fim de semana, o P.A. Alvorada ficou sem energia durante quase todo o domingo.

 

BOLSONARO DIZ QUE LEI BRASILEIRA DEFENDE DEMAIS O TRABALHADOR

Em entrevista concedida ao SBT na última quinta-feira (3), o presidente Jair Bolsonaro reafirmou sua visão de que é preciso aprofundar a reforma trabalhista aprovada pelo Governo Temer: “O Brasil é o país dos direitos em excesso, mas faltam empregos. Olha os Estados Unidos, eles quase não têm direitos. A ideia é aprofundar a reforma trabalhista”, afirmou a jornalistas do canal SBT, na noite desta quinta-feira. Em dezembro, o então presidente eleito havia sido incisivo ao dizer que a legislação trabalhista teria "que se aproximar da informalidade" para que empregos pudessem ser gerados. Em outras ocasiões, Bolsonaro já havia falado sobre o "tormento" de ser patrão no país, algo que repetiu em teor semelhante nesta quinta. O presidente disse que em nenhum país do mundo há uma Justiça do Trabalho como no Brasil e criticou a legislação trabalhista atual por defender demais o trabalhador.

 

ATAQUES DO NOVO GOVERNO A PAULO FREIRE PODEM AUMENTAR A DESIGUALDADE

As escolas privadas de elite no Brasil, que cobram mensalidades de 2 mil reais para cima, usam métodos para os quais o educador Paulo Freire muito contribuiu. Por razões ideológicas o novo governo brasileiro quer banir das escolas públicas aprendizagem por métodos participativos dos alunos e alunas, inspirados nas ideias de Paulo Freire, falecido em 1997, até hoje mundialmente respeitado. Se banidos tais métodos, a já alta distância na aprendizagem entre alunos de escolas privadas e escolas públicas vai aumentar. Os motivos alegados pelo governo é que a inspiração de Paulo Freire seria marxista, uma vez que ele defendia a educação como libertação da ignorância e da submissão política. Paulo Freire defendia a escola como lugar de formação integral da cidadania e não apenas como lugar de instrução. E ainda, a escola ensinando a partir do conhecimento que trazem os estudantes de sua realidade social vivida, ao contrário da escola que, de cima, apenas traz letras, sons, informações já fechadas. As ideias de Paulo Freire são de liberdade. O que não parece ser bom para o novo governo.

 

INDÚSTRIA CRESCE MENOS EM 2018 DO QUE EM 2017

Embora para fechar as contas ainda esteja faltando o mês de dezembro, a indústria brasileira não terá conseguido repetir em 2018 o pequeno crescimento de produção de 2% que teve em 2017. Com mais um agravante: 70% do crescimento de 2018 se deve à indústria automobilística. O que mostra o tamanho do problema para os outros ramos industriais como tecidos, alimentos, materiais de construção, mobiliário, e outros bens duráveis não relacionados ao setor automotivo. Ainda, perspectiva para este setor mais dinâmico não é positiva em 2019, devido à recessão na economia da Argentina, uma grande importadora de veículos produzidos no Brasil, e às dificuldades persistentes do comércio internacional. Por outro lado, está difícil a recuperação de empregos e de renda na economia brasileira.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload