© 2017 gru360 / Aqui Guarulhos se encontra em 360 Graus 

FIQUE LIGADO: MANIFESTAÇÃO CONTRA ATERRO SANITÁRIO NESTE DOMINGO, GOVERNO BOLSONARO QUER AUMENTAR O NÚMERO DE DOCUMENTOS SECRETOS E MAIS NOTÍCIAS

January 25, 2019

MANIFESTAÇÃO CONTRA ATERRO SANITÁRIO NO PARQUE DA TRANSGUARULHENSE NESTE DOMINGO (27)

Foto: Montanha de lixo que deslizou do aterro sanitário de Guarulhos

Os moradores da região afetada pelo aterro sanitário de Guarulhos, que deslizou no final de 2018 e expôs uma montanha de lixo, farão uma manifestação neste domingo (27) às 16 horas na Praça Tranguarulhense, no Parque Continental. No ato, pretendem reivindicar mais transparência sobre a verdadeira extensão dos danos causados pelo deslizamento, cobrar rapidez na solução do problema. E acrescentam, pressionar para a não instalação de um novo e imenso aterro de lixo da CDR na região, que pretende ali depositar o lixo da Capital e mais sete outras cidades. A manifestação deve contar com a presença de moradores da região, ativistas ambientais, movimentos populares e lideranças políticas.

 

GASES PRECOCUPAM MORADORES

Moradores da região afetada pelo deslizamento do aterro, em especial nos Parques Continentais e Cambará, estão preocupados com os gases liberados pelo lixo. Segundo eles, as enzimas utilizadas pela Prefeitura tem o objetivo de conter o mau cheiro que exala do lixo, mas não contém os gases que naturalmente são produzidos pela decomposição de resíduos orgânicos dos mais diversos. Outra grande preocupação é a desvalorização imobiliária da região. Ninguém quer morar perto de um aterro sanitário e de mais um outro que a Prefeitura de Guarulhos autorizou e que a qualquer momento pode ter autorização da secretaria estadual do Meio Ambiente. Os moradores também questionam a lógica da Prefeitura, que dificulta a construção de casas e o alvará para a abertura de comércios na região sob a alegação de que se trata de Área de Proteção Ambiental, mas apoia a implantação de mais um aterro sanitário.

 

FÁCIL TABOÃO ESTÁ COM PRÉDIO SUCATEADO

O Fácil Taboão, criado há 16 anos, tem a aparência de um prédio abandonado. Está sem placa de identificação, todo pichado e com a porta de entrada quebrada faz meses. O atendimento aos usuários continua ocorrendo, apesar do mau estado de conservação da unidade. A Prefeitura informou que, desde a transferência do SAAE para a Sabesp, já não tem nenhuma responsabilidade pela manutenção física do Fácil Taboão, que fica em um dos imóveis locados pelo SAAE.

 

GOVERNO BOLSONARO QUER AUMENTAR O NÚMERO DE DOCUMENTOS SECRETOS

Por meio de um decreto publicado nesta quinta-feira no Diário Oficial da União, o governo de Jair Bolsonaro mudou a regulamentação da Lei de Acesso à Informação, para permitir que cargos comissionados —muitos sem vínculo permanente com a administração pública— possam classificar informações oficiais com o grau máximo de sigilo: de 25 anos (dados ultrassecretos) ou 15 anos (dados secretos). Na prática, o decreto, permitirá a construção de um governo com muitas informações secretas. Bem ao gosto militar. É um claro retrocesso na política de transparência do Estado que vinha avançando desde 2003.

 

COM MEDO DE AMEAÇAS DE MORTE, JEAN WYLLYS RENUNCIA A MANDATO DE DEPUTADO FEDERAL

O deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) deixou uma carta aos colegas de partido para explicar sua saída do País. Ele diz que vai renunciar ao mandato de deputado federal para o qual foi eleito e que se inicia em 2019. O texto conta que as ameaças à sua vida e à de sua família se intensificaram no último ano e que a Polícia Federal e o Estado brasileiro se calaram frente às denúncias. Quando um representante popular escolhido pelo voto direto sente sua existência física ameaçada em razão do que e de quem representa, estamos diante de sinais claros de um colapso da institucionalidade democrática. O presidente da República comemorou a renúncia desse parlamentar a quem atacou muitas vezes na Câmara Federal. Como presidente deveria ter exigido uma apuração minuciosa e punição exemplar para os autores das ameaças.

 

CAPITÃO HOMENAGEADO POR FLÁVIO BOLSONARO FOI EXPULSO DA PM

Flávio Bolsonaro, agora eleito senador do Rio, por duas vezes, quando deputado, homenageou oficialmente o ex-capitão da PM carioca, Adriano da Nóbrega, uma delas com a medalha Tiradentes. Adriano foi expulso da PM em 2014 por proteção ao jogo do bicho. Antes, ele havia sido preso três vezes acusado de homicídio de um jovem que havia denunciado policiais por extorsão e ameaças, e acusado da tentativa de morte de um desafeto de bicheiros. Agora o ex-capitão está sendo procurado sob a acusação de chefiar um grupo de milicianos envolvido em vários crimes. Durante dez anos, a mulher do capitão foi assessora do então deputado Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa. E a mãe do capitão também foi assessora do deputado durante dois anos e meio.  No ano passado, dois outros PMs, irmãos de outra assessora de Flávio Bolsonaro, foram presos acusados de fazer parte de uma quadrilha que praticava extorsão.

 

MAIS DETALHES DA INTENÇÃO DA GM DE FECHAR FÁBRICAS NO BRASIL

Nesta sexta (25) foi revelado teor de uma conversa entre um alto executivo da General Motors no Brasil com representantes do Ministério da Economia. A chefia mundial da montadora, que fica nos Estados Unidos, comunicou que se em 2019 prosseguir havendo prejuízo nas operações no Brasil, como ocorreu nos últimos três anos, a tendência é o fechamento das unidades fabris de São Caetano e São José dos Campos, que empregam 13 mil pessoas. Permaneceria a fábrica de Gravataí no Rio Grande do Sul, onde os salários e benefícios custam menos para a GM. O governo federal não quer reduzir tributos. Se fizer isso vai ter que estender às outras montadoras. O governo estadual pensa em dar vantagens tributárias. Mas o resultado negativo seria duplo: teria que estender às outras marcas, e abriria uma guerra fiscal com outros estados onde há fábricas de veículos.

 

COMANDANTES MILITARES E RÚSSIA DECLARAM APOIO A MADURO NA VENEZUELA

Todos os generais que comandam oito regiões estratégicas da Venezuela e mais o todo-poderoso general ministro da Defesa declararam publicamente apoio ao presidente Nicolás Maduro na disputa com o ato-proclamado presidente do país, Juan Guaidó, que preside a Assembleia Nacional de maioria oposicionista. A Rússia, por sua vez, reafirmou o apoio a Maduro e advertiu os Estados Unidos contra qualquer intervenção militar. A Venezuela é a segunda maior compradora de armamentos da Rússia. A China também não quer intervenção militar de outros países. A Turquia se somou ao México e a vários outros países no apoio ao regime chavista. Já há países que se propõe a mediar uma negociação entre governo e oposição. Mas não está descartada nem uma guerra civil, nem uma intervenção militar estrangeira.

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload