© 2017 gru360 / Aqui Guarulhos se encontra em 360 Graus 

FIQUE LIGADO: APÓS PROTESTOS, PREFEITURA DE GUARULHOS PARALISA OBRA QUE SÓ BENEFICIARIA EMPRESAS NO TABOÃO, PESQUISA APONTA 4.600 OBRAS PÚBLICAS PARADAS NO BRASIL E MAIS NOTÍCIAS

April 18, 2019

APÓS PROTESTOS, PREFEITURA DE GUARULHOS PARALISA OBRA QUE SÓ BENEFICIARIA EMPRESAS NO TABOÃO

Após protestos de moradores e lideranças, a Prefeitura de Guarulhos resolveu paralisar uma obra viária no Taboão que apenas beneficiaria transportadoras e empresas de logística. Um dos sofrimentos maiores no trânsito de Guarulhos acontece naquele local, o final da Marginal do Baquirivu no Taboão, constantemente engarrafado nos horários de pico. Justamente ali, onde funcionava uma antiga tecelagem, agora foram construídos imensos galpões aumentando o fluxo de caminhões. A obra agora paralisada abria um acesso e um retorno para os galpões. Enquanto isso, não está sendo feito o retorno na altura do terminal de ônibus há muito reivindicado pelos usuários da Marginal. Sem esta opção no terminal de ônibus às vezes perde-se quarenta minutos para um retorno que poderia ser feito em um dois minutos. O secretário de Transportes mandou então paralisar a obra para que os proprietários dos galpões banquem o outro retorno que interessa a milhares de usuários da Marginal do Baquirivu, além do retorno que lhes interessa.

 

PESQUISA APONTA 4.600 OBRAS PÚBLICAS PARADAS NO BRASIL

A Câmara Brasileira da Indústria da Construção divulgou nesta quinta (18) pesquisa nacional detectando mais de 4.600 obras públicas paradas no país. Desde postos de saúde, creches, escolas, redes de saneamento, conjuntos habitacionais,pavimentação de ruas, e até estradas. A maior parte são obras de unidades de saúde. Os governos não querem concluí-las porque depois o custo de manutenção e funcionamento a cada ano equivale ao gasto total na construção. Em segundo lugar vem as obras de urbanização. Em terceiro de redes ou tratamento de esgotos e de abastecimento de água. Em quarto creches e escolas. Em quinto pavimentação de ruas. E assim prossegue com moradias populares e outras obras. É claro que as empresas de construção estão querendo ocupar sua capacidade ociosa. Mas alertam também para a questão do emprego. Segundo a Câmara da Indústria da Construção se as obras fossem retomadas recuperariam pelo menos 500 mil novos empregos no país.

 

PREVISÃO PARA O GOVERNO FEDERAL PARA 2020 NÃO APONTA RETOMADA DE INVESTIMENTOS

O projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias enviado ao Congresso Nacional pelo presidente da República não aponta para a retomada de investimentos do governo. Em acordo com a Emenda Constitucional do teto de gastos aprovada ainda no governo Temer a Lei de Diretrizes Orçamentária indica uma redução de recursos para obras de infraestrutura, para ciência e tecnologia, para programas sociais, para cultura e outras áreas que não têm percentual obrigatório na Constituição. Estão ameaçadas também os recursos de saúde e educação, já congelados pela emenda do teto, e que podem ser mais prejudicados se realizados os desejos do ministro da Economia de liberar o governo dos percentuais obrigatórios para estas duas áreas. O congelamento do valor real do salário mínimo, previsto na Lei de Diretrizes enviada ao Congresso pelo presidente, por sua vez irá reduzir a renda real de cerca de 40 milhões de brasileiros, com reflexos negativos no movimento da economia.

 

AGORA DELATORES DA ODEBRECHT AFIRMAM QUE O EX-PRESIDENTE DO PERU ALAN GARCÍA NÃO TEVE BENEFÍCIOS PESSOAIS

Depois do suicídio do ex-presidente do Peru, Alan García, em protesto à ordem judicial de sua prisão pela Lava Jato do Peru, os delatores da empresa Odebrecht afirmam que não o haviam acusado de roubos pessoais. A acusação era de propina paga a seu governo  e de contribuições para sua campanha eleitoral. Antes do suicídio, Alan García se declarava injustiçado e vítima de um assassinato moral por promotores públicos da Lava Jato local e pela mídia. Segundo os delatores, o único benefício pessoal seria o pagamento pela Odebrecht de uma palestra que aconteceu em São Paulo, na Fiesp. No caso de Lula, os promotores públicos também o processam por receber por palestras. O que é muito comum com ex-presidentes dos Estados Unidos e de outros países, chamados a avaliar junto a empresários as perspectivas da economia e dos governos.         

 

BOLSONARO ACIONA FORÇA NACIONAL PARA INTIMIDAR MARCHA DOS POVOS INDÍGENAS E OUTRAS MANIFESTAÇÕES POPULARES EM BRASÍLIA

Na próxima semana, acontecerá em Brasília uma marcha de representantes dos povos indígenas. O protesto em Brasília faz parte do ATL (Acampamento Terra Livre), uma marcha de indígenas de diversas partes do Brasil que ocorre há 15 anos. Neste ano, o acampamento está previsto para os dias 24 a 26 de abril. O presidente Jair Bolsonaro definiu o evento como um "encontrão de índio", disse que quem pagará os custos será o contribuinte, e autorizou nesta quarta-feira (17) que a Força Nacional seja acionada para realizar a segurança da Esplanada dos Ministérios e da Praça dos Três Poderes nos próximos 33 dias. Além da marcha dos povos indígenas, Brasília deve ser palco, nos próximos dias, de grandes manifestações populares, como o Dia do Trabalhador (1º de Maio) e atos contra a reforma da previdência.

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload