© 2017 gru360 / Aqui Guarulhos se encontra em 360 Graus 

FIQUE LIGADO: MATERNIDADE JJM PEDE URGENTE MAIS RECURSOS À PREFEITURA DE GUARULHOS, SAMU DA CAPITAL OPERA COM POUCO MAIS DA METADE DAS VIATURAS. SITUAÇÃO EM GUARULHOS É AINDA PIOR E MAIS NOTÍCIAS

May 29, 2019

MATERNIDADE JJM PEDE URGENTE MAIS RECURSOS À PREFEITURA DE GUARULHOS

O Hospital e Maternidade Jesus, José e Maria (JJM), entidade beneficente que começou seu funcionamento em 2001 em Guarulhos é hoje a maior em número de partos do Estado de São Paulo. A direção e o conselho da entidade, através de ofício desta terça (28) dirigido ao prefeito e ao presidente da Câmara Municipal, pedem urgentemente mais recursos à Prefeitura para garantir o atendimento da demanda que cresce cada vez mais.  Desde 2016 a Prefeitura repassa o mesmo valor para o JJM. Já na época estava abaixo da necessidade. A situação se agravou porque, além dos efeitos da inflação, o número de partos realizados desde então cresceu em 13%, as internações em 14%, e no setor que gasta mais recursos, a UTI neonatal, o atendimento cresceu em 26%.

 

JJM REALIZA MAIS DE 6 MIL E 700 PARTOS POR ANO EM GUARULHOS

A Maternidade JJM realiza 53% dos partos que são atendidos pelo sistema público de saúde em Guarulhos. E quase a metade são de alto risco. No ano de 2018 o número de partos assistidos pelo JJM foi de 6.733. As outras unidades do SUS que realizam partos em Guarulhos são o Hospital Pimentas Bonsucesso, municipal;  e o Hospital Geral do Cecap, estadual. Por ano nascem cerca de 20 mil crianças em Guarulhos, quase 13 mil delas no sistema público e gratuito, o SUS. Daí a importância do apelo do JJM para uma suplementação dos recursos que anualmente a Prefeitura lhe destina. Também porque como está atendendo acima de sua capacidade o SUS não cobre todos os partos e internações que são realizados.

 

SERVIDORES DE GUARULHOS EM GREVE APRESENTAM CONTRAPROPOSTA DE 3,5% DE REAJUSTE NOS SALÁRIOS

Assembleia com cerca de 800 pessoas realizada na manhã desta quarta (29) em frente à Prefeitura de Guarulhos aprovou uma contraproposta de 3,5% de reajuste salarial que vai ser apresentada ao prefeito. Junto a isso acrescentam a reivindicação de um abono mensal de 100 reais para quem ganha até R$ 2.200, e um reajuste de 10% no vale refeição e no vale alimentação. Pedem a extensão da cesta básica para todos com reajuste de 21%. E concluem pedindo o abono dos dias parados. Enquanto se desenvolvem as negociações a greve continua à espera de uma resposta do prefeito ou de decisão favorável do Tribunal Regional do Trabalho. Nesta quinta (30) está marcada uma audiência de conciliação no Tribunal de Justiça. A greve segue parcial, com mais adesão nas áreas de educação, saúde, e de atendimento ao público no Fácil. 

 

CIDADE INDUSTRIAL DE CUMBICA COM GRAVES PROBLEMAS DE CONSERVAÇÃO

Embora tenha sido criada uma regional da Prefeitura de Guarulhos, para cuidar da conservação da Cidade Industrial Satélite de Cumbica, há um abandono na manutenção do maior centro industrial do município. Apenas seis funcionários operacionais atuam na regional. Várias avenidas, como a Avenida Cumbica, Novo Brasil, Guinle estão com mato muito alto nas laterais ou a Avenida Panambi em mau estado de conservação. Na Avenida Jaguarão, sem asfalto, foram retiradas moradias e comércio clandestino há vários meses, mas a Prefeitura não fez nenhuma conservação do solo bastante irregular. Existem ainda recursos federais do PAC Mobilidade para esta avenida e ruas próximas, mas não estão sendo utilizados pela Prefeitura. Há duas importantes obras estaduais na região: o alargamento e aprofundamento da calha do Rio Baquirivu, desde a Rodovia Ayrton Senna até o Parque Cecap para enfrentar o problema de inundações; e a implantação de uma adutora de água pela Sabesp na Avenida Orlanda Bérgamo. E há em andamento uma obra da Prefeitura com recursos federais, o corredor de ônibus da Avenida Santos Dumont.

 

SAMU DA CAPITAL OPERA COM POUCO MAIS DA METADE DAS VIATURAS. SITUAÇÃO EM GUARULHOS É AINDA PIOR

Apenas pouco mais da metade das ambulâncias do SAMU da cidade de São Paulo estão em operação nesta semana. Uma nova reorganização do serviço feira pela Prefeitura de São Paulo fez com que das 122 viaturas, apenas 80 estejam operando. Além disso, muitas bases do SAMU não estão operando 24 horas, apenas 12. A razão apontada é a falta de equipes para garantir que o serviço seja oferecido em sua totalidade. Em Guarulhos também acontece no mesmo, de 21 viaturas, apenas 7 estavam em operação na semana passada. As razões, contudo são outras, em Guarulhos a maior parte das viaturas estão quebradas e falta combustível para a realização do serviço.

 

OUTRA GREVE GERAL CONTRA AS POLÍTICAS CONSERVADORAS DE MACRI PARALISA A ARGENTINA

Nesta quarta-feira (29), o governo conservador de Maurício Macri, na Argentina, está enfrentando sua 5ª greve geral. Assim como nas outras quatro paralisações, o movimento conta com a quase totalidade dos trabalhadores das áreas de educação, transporte, coleta de lixo e indústria. Mais um vez a Argentina parou para protestar contra o desemprego, o descaso do governo com as políticas de proteção social, a alta dos preços e o acordo com o FMI. O governo Macri foi eleito em2015 com a mesma plataforma de governo que elegeu Bolsonaro aqui no Brasil: corte profundo de gastos públicos e retirada de direitos dos trabalhadores e trabalhadoras. A aplicação dessas medidas aprofundou ainda mais a crise econômica da Argentina, levando o país a ter que pedir empréstimo ao FMI, perdendo assim a autonomia na tomada de decisões sobre sua economia. Pesquisa realizada pelo instituto Synopsis, em maio de 2019, mostra que Macri hoje possui 31% de ótimo e bom, contra 35% de ruim e péssimo e 34% de regular. No Brasil, os cortes de gastos do governo, sobretudo na educação,  e a reforma da Previdência que retira direitos dos trabalhadores, tem potencial de aprofundar a crise econômica brasileira. Uma greve geral da educação já aconteceu no dia 15 de maio, levando milhões de pessoas às ruas de mais de 200 cidades e outra greve geral está sendo anunciada para o dia 14 de junho.

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload