© 2017 gru360 / Aqui Guarulhos se encontra em 360 Graus 

FIQUE LIGADO: SINDICATO DOS BANCÁRIOS DE GUARULHOS FEZ FESTA DOS 30 ANOS, DATAFOLHA APONTA QUE SE A ELEIÇÃO FOSSE HOJE HADDAD DERROTARIA BOLSONARO E MAIS NOTÍCIAS

September 2, 2019

SINDICATO DOS BANCÁRIOS DE GUARULHOS FEZ FESTA DOS 30 ANOS

O Sindicato dos Bancários de Guarulhos comemorou na sexta à noite seus 30 anos no Nosso Clube na Vila Galvão. É um dos sindicatos mais atuantes de Guarulhos, em defesa de sua categoria. Mas se destaca igualmente em defesa dos direitos da maioria da sociedade. A festa juntou a comemoração dos 30 anos com o crescimento do número de associados neste ano e com a posse da nova diretoria, sob a liderança do presidente Luís Carlos Santos. Um destaque nas lutas atuais do sindicato é evitar o desemprego ou a superexploração do trabalho dos bancários, resistindo à nova lei que permite a abertura dos bancos aos sábados. Isto ainda não está se concretizando por estar em vigor um acordo coletivo até o próximo ano. Mas o sindicato também está empenhado na defesa dos trabalhadores em geral contra a precarização dos direitos trabalhistas e previdenciários em curso no país.

 

PESQUISA DATAFOLHA: SE A ELEIÇÃO FOSSE HOJE HADDAD DERROTARIA BOLSONARO

Pesquisa nacional Datafolha divulgada nesta segunda (2) mostra que muitos se arrependeram de votar em Bolsonaro ou votar branco e nulo. Dos que votaram em Bolsonaro, 10% agora mudaria seu voto para Haddad. Dos que votaram branco ou nulo 21% hoje votariam em Haddad. Estas e outras alterações de opinião dariam um resultado de 54% dos votos válidos para Haddad e 46% para Bolsonaro. Praticamente o resultado se inverteria, porque no ano passado o resultado foi de 55% a 45% para o atual presidente. Interessante como se comportaria hoje a diversidade que existe na sociedade brasileira. Haddad teria a maioria entre desempregados, mulheres, jovens, pardos e negros, católicos. Bolsonaro teria a maioria entre empresários, pessoas de cor branca, e entre evangélicos. Entre homens os dois empatam. 

 

IBGE MOSTRA QUE DESEMPREGO SÓ CAI NO TRABALHO INFORMAL

Na sexta (30) o IBGE divulgou que cresceu no Brasil, nos meses de maio, junho e julho, o número de pessoas que trabalham por conta própria ou com emprego sem carteira assinada (portanto sem direitos). A pesquisa é feita nas residências em todo o país (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio). O resultado anunciado: 33 milhões e 100 mil empregados/as com carteira assinada. 24 milhões e 200 mil por conta própria (a maioria sem CNPJ). 11 milhões e 700 mil trabalhando para um patrão porém sem carteira assinada. 7 milhões e 300 mil pessoas subocupadas, que trabalham menos horas do que precisam e desejam. Desempregados procurando emprego são 12 milhões e 600 mil. Desalentados, os desempregados que desistiram de procurar emprego: 4 milhões e 800 mil. Somando os dois últimos o resultado é 17 milhões e 400 mil pessoas desempregadas. Continue lendo depois da propaganda...

Apoio:

INCÊNDIOS NA AMAZÔNIA QUASE DOBRARAM ESTE ANO E PESQUISA REPROVA AÇÃO DE BOLSONARO

Foram 64 mil queimadas na Amazônia Legal brasileira registradas de janeiro a agosto deste ano. No ano de 2018, no mesmo período, foram 33 mil focos de incêndio. Além do Norte, a Amazônia Legal abrange parte dos estados do Mato Grosso e do Maranhão. Com certeza, o incentivo ao governo federal e as críticas e cortes dele aos órgãos de fiscalização ambiental têm muito a ver com este aumento exponencial. Em pesquisa Datafolha publicada neste domingo (1º) 51% consideram ruim/péssimo o desempenho do presidente da República nesta questão. Apenas 25% aprovam. Entre outras questões da pesquisa uma sobre as reservas indígenas na Amazônia: 51% apoiam mantê-las e 20% concordam com o presidente de que elas devam ser reduzidas.

 

ALERTA DO PAPA SOBRE AMAZÔNIA EM FALA NESTE DOMINGO

O Papa Francisco, em sua mensagem ao mundo neste domingo (1º), lembrou a Assembleia Especial dos Bispos da Região Amazônica a ser realizada em Roma em outubro. Ele criticou a avidez de possuir e explorar que vem degradando o meio ambiente com o uso incessante de combustíveis fósseis, com exploração agrícola intensiva, prática de abater florestas, elevando a temperatura global a níveis preocupantes, desertificando o solo, dissolvendo geleiras, escasseando a água, enchendo de plástico os oceanos.

Apoio:

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload