© 2017 gru360 / Aqui Guarulhos se encontra em 360 Graus 

FIQUE LIGADO: CERCA DE 100 PESSOAS FICARAM DESABRIGADAS PELO INCÊNDIO EM GUARULHOS, DEMISSÃO DO PODEROSO CHEFE DA RECEITA FEDERAL TEM VÁRIAS RAZÕES E MAIS NOTÍCIAS

September 13, 2019

CERCA DE 100 PESSOAS FICARAM DESABRIGADAS PELO INCÊNDIO EM COMUNIDADE DE GUARULHOS

Cerca de 30 famílias moravam em casas e barracos destruídos completamente pelo incêndio ocorrido nesta quinta (12) na comunidade do Jardim Zimbardi,  próximo ao Jardim Ipanema e à Vila Barros em Guarulhos. As famílias perderam as casas, os móveis, roupas, documentos, mantimentos. Poucos conseguiram salvar alguma coisa. Só se salvaram as pessoas, cerca de 100, que estão alojadas em famílias de parentes ou na sede de uma ONG próxima ao local, mantida pela vereadora Carol Ribeiro. Oficialmente, a Prefeitura criou um posto de arrecadação na UBS da Vila Barros, na rua Carlos Korkischko. A Prefeitura atualmente não tem reservas de roupas, colchões, víveres para estas emergências. Depende de doações ou da Defesa Civil Estadual. Houve variadas iniciativas de ajuda às famílias por parte de pessoas e entidades. A comunidade ou favela ocupava um terreno no final de rua sem saída nos fundos de um grande terreno vazio que começa na Avenida Otávio Braga de Mesquita. 

PREFEITURA DE GUARULHOS PUBLICOU HOJE LEI DE ANISTIA DE JUROS E MULTAS

Há vários prazos para quem deve à Prefeitura de Guarulhos ou ao SAAE e pode pagar com abatimento de juros e multa. A lei de anistia, publicada no Diário Oficial desta sexta (13), estabelece os prazos de 22 de novembro (maior desconto), 20 de dezembro (desconto menor) e 31 de janeiro (desconto ainda menor e último prazo). Os devedores podem ou pagar à vista o principal da dívida com 100% a 80% de desconto conforme o prazo do requerimento, ou parcelar com um desconto descendente conforme o número de meses. As multas de trânsito não são beneficiadas nesta lei. E não há nenhum desconto do que é devido aos procuradores da Prefeitura, os chamados honorários advocatícios que, em seu valor integral, podem ser divididos na mesma medida do parcelamento. A Prefeitura dá desconto, mas seus procuradores, não. Quem já estava pagando parcelada a anistia anterior, pode juntar o que deve e entrar nesta nova anistia.

 

DEMISSÃO DO PODEROSO CHEFE DA RECEITA FEDERAL TEM VÁRIAS RAZÕES

A demissão, pelo presidente da República, do chefe da poderosa Receita Federal, Marcos Cintra, tem várias causas. Todas com aspecto de verdade, devido às várias correntes que se disputam no governo. Uma causa da queda: a sua defesa da volta da CPMF em todas as transações bancárias. Proposta derrubada pelo Senado no governo Lula e recusada pelos que movimentam grandes quantias nos bancos. Pois se 0,4% de imposto para quem movimenta mil reais dá 4 reais para o Tesouro Nacional, para quem movimenta 1 bilhão de reais dará 4 milhões de imposto. Outra causa da queda: o apoio de Cintra a fiscais da receita que estavam combatendo corrupção em algumas pontas ligadas às milícias próximas da família do presidente da República. Outra causa: as divergências entre setores da economia e governos de estados quanto ao Imposto Único defendido por Cintra. Outra causa: Cintra era visto como um estranho no ninho da alta burocracia concursada da Receita Federal, especialmente da ala que se juntou aos procuradores da Lava Jato agindo fora da lei para investigar e vazar informações sobre alvos políticos e judiciais escolhidos. Continue lendo depois da propaganda...

Apoio: 

É DO PSL E PASSOU ANTES POR 7 PARTIDOS O CHEFE DA RECEITA FEDERAL DEMITIDO

O demitido chefe da Receita Federal, Marcos Cintra, está no PSL, partido do presidente da República. Mas antes foi da ARENA, do PDS, do PFL, do PL, do PR, do PSD, do PRB. Foi vereador na cidade de São Paulo, deputado federal, e ocupou cargos nos governos do PSDB no estado e de Kassab na Prefeitura. Cintra começou sua vida política como professor de economia da Fundação Getúlio Vargas levando suas ideias pró-mercado e pró-imposto único para alavancar uma carreira política. Os objetivos finais de Cintra são comuns ao atual governo: a completa liberação para os negócios privados atuarem conforme seus objetivos de lucro, favorecendo o mais forte, que é o capital financeiro, sem pátria, mas com sede principal nos Estados Unidos. As disputas estão na forma de fazer isso. Daí as razões de sua queda do importante cargo de chefe da Receita Federal, instituição que cuida de arrecadar as centenas de bilhões que sustentam o Estado brasileiro. 

 

GREVE CONTRA A REFORMA DA PREVIDÊNCIA NA FRANÇA É A MAIOR EM 12 ANOS
Nesta sexta (12), os trabalhadores do transporte público de Paris pararam a cidade, na maior greve que acontece na França nos últimos 12 anos. O protesto é contra a reforma da Previdência preparada e anunciada pelo governo do presidente Macron.  Advogados, funcionários de companhias aéreas e do setor de saúde convocaram mais paralisações para a segunda-feira. Movimentos semelhantes também estão programados para outras grandes cidades. Lá, como no Brasil, estão sendo aumentados o tempo de contribuição e reduzindo os valores das aposentadorias. 

 

FOME APROFUNDA CRISE DE GOVERNO NA ARGENTINA
A Argentina, um país antes de menor desigualdade, está  agora com 39% de pobres, uma parte deles indigentes. Por isso, a Câmara dos Deputados lá aprovou por unanimidade um projeto de lei de Emergência Alimentar e Nutricional, que estabelece um aumento de verbas destinadas ao abastecimento de refeitórios em regiões de pobreza. Em um clima de tensão crescente, centenas de membros de movimentos sociais estão acampados em Buenos Aires, como pressão para aprovação do projeto que agora vai para o Senado. Os manifestantes ergueram barracas em avenidas centrais da capital, onde montaram cozinhas improvisadas para preparar alimentos que foram distribuídos numa modalidade de protesto que tem se repetido como denúncia ao aumento dos preços e da recessão econômica.

Apoio:

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload