© 2017 gru360 / Aqui Guarulhos se encontra em 360 Graus 

FIQUE LIGADO: GOVERNO DO ESTADO PRETENDE ACABAR COM 1.170 EMPREGOS EM GUARULHOS AO EXTINGUIR A FURP E MAIS NOTÍCIAS

October 3, 2019

GOVERNO DO ESTADO PRETENDE ACABAR COM 1.170 EMPREGOS EM GUARULHOS AO EXTINGUIR A FURP

O atual governador João Dória anunciou que vai extinguir a Fundação FURP, fábrica estadual de remédios instalada em Guarulhos próximo ao Hospital Padre Bento. Com isso ficarão desempregados 1.170 pessoas, 90% residindo em Guarulhos. São 870 empregados da Fundação que trabalham na produção de remédios e na administração, e mais 300 empregos terceirizados para limpeza, segurança, refeitório, jardinagem e alguns outros serviços. A FURP produz remédios que são distribuídos gratuitamente no sistema público de saúde. São medicamentos para diabetes, pressão alta, Aids, tuberculose, hanseníase e outros como o conhecido Benzetacil. Os trabalhadores diretos da FURP são concursados. Têm plano de saúde corporativo e a empresa tem creche para as crianças de seu quadro de funcionárias e funcionários. Tudo isso acaba se o plano do governo estadual se realizar.

 

MOVIMENTO CONTRA O FIM DA FURP VAI TOMANDO CORPO EM GUARULHOS

Na semana passada o Sindicato das Indústrias Químicas e Farmacêuticas de Guarulhos e a Comissão de Funcionários da FURP fizeram uma manifestação em frente à fábrica contra a extinção da Fundação FURP. Nesta sexta (4) haverá uma audiência pública na Câmara Municipal de Guarulhos às 18 horas em defesa da continuidade da FURP e dos empregos. Espera-se uma adesão importante do movimento sindical e do movimento de saúde da cidade nesta luta. Espera-se também uma ação da Prefeitura em defesa da fábrica na cidade e de seus trabalhadores. Na Assembleia Legislativa existe uma CPI da FURP, que investiga o que aconteceu na outra fábrica da Fundação, na cidade de Américo Brasiliense. Lá, no governo Alckmin, foi feita uma parceria com empresa privada que teria dado prejuízo à Fundação. Em Guarulhos a FURP é completamente estatal, diferente do caso de Américo Brasiliense. 

 

EVASÃO ESCOLAR, CONFLITO FAMILIAR, ABUSO SEXUAL: TEMAS MAIS COMUNS NOS CONSELHOS TUTELARES DE GUARULHOS

Neste domingo (6) haverá eleição em todo o país dos conselhos tutelares previstos no Estatuto da Criança e do Adolescente. Será por voto de quem tem título de eleitor e na cidade e zona eleitoral onde a pessoa é registrada como eleitora. A experiência de mais de uma década de conselhos tutelares em Guarulhos indica que as queixas feitas pelas escolas de abandono das aulas por crianças e adolescentes é o que há de mais comum nos seis conselhos tutelares que existem na cidade. Vêm depois os conflitos nas famílias que repercutem sobre a vida e guarda de crianças e adolescentes.  E os casos mais chocantes são de abuso sexual, especialmente de crianças e adolescentes do sexo feminino. O número real de casos é bem maior do que os que são comunicados. A maioria acontece por ação de pais e parentes, o que leva as vítimas e inclusive as mães a esconder as ocorrências seja para não prejudicar familiares, seja para não perder um lar ou a sustentação. Em Guarulhos são 263 candidatos e candidatas para 30 vagas, cinco em cada um dos seis conselhos tutelares.

 

MINISTRO DO SUPREMO ACUSA SÉRGIO MORO DE TER SIDO ILEGALMENTE CHEFE DOS PROCURADORES DA LAVA JATO                                                                            

O ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes declarou nesta quarta (2) em seu voto no caso que juga procedimentos da Operação Lava Jato: “Não parece haver dúvida que o juiz Moro era o verdadeiro chefe da força-tarefa (de procuradores da República). Quem acha que isto é normal certamente não está lendo a Constituição e o Código de Processo Penal”. O Código de Processo Penal brasileiro diz que o juiz não poderá julgar processo no qual tiver aconselhado qualquer das partes. No caso, os procuradores acusadores constituem uma das partes. Os acusados a outra. Segundo a Constituição, o Ministério Público, do qual são membros os procuradores da República, tem autonomia funcional. Isto é, seus membros não são submetidos ao comando do juiz. Este deve ser imparcial no tratamento das duas partes do processo. A Constituição brasileira incorporou tratados internacionais que garantem ao acusado ser julgado por juiz imparcial. É justamente destas transgressões à Constituição e às leis que vem sendo acusados o ex-juiz Moro e os procuradores da República. Daí a importância das decisões que o STF está tomando sobre os julgamentos da Operação Lava Jato.

 

SUICÍDIO MATA MAIS POLICIAIS DO QUE CONFLITOS NAS RUAS EM SÃO PAULO, DIZ PESQUISA

No Estado de São Paulo, 78 policiais cometeram suicídio entre 2017 e 2018, de acordo com uma pesquisa divulgada nesta quarta-feira (02) pela Ouvidoria de São Paulo em parceria com os Conselho Federal e Regional de Psicologia. Um número maior do que policiais mortos em conflito, especialmente fora de serviço. Inclusive na Polícia Militar. A Organização Mundial da Saúde adverte que a situação é considerada epidêmica a partir de 10 suicídios para cada 100 mil pessoas. Na polícia civil a taxa de suicídios chega a 30 a cada 100 mil, e na militar é 21 a cada 100 mil. Segundo a pesquisa, as principais causas de suicídio entre os policiais são: estresse inerente à função, transtorno pós-traumático, falta de suporte psicológico, depressão, conflitos internos da corporação, problemas financeiros e familiares, rigidez e isolamento social.

 

MAIS DE 400 PROFESSORES DO ESTADO DE SÃO PAULO FORAM AGREDIDOS DENTRO DA SALA DE AULA NUM ANO

Segundo os Registros de Violência Escolar da Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, 434 professores sofreram agressões físicas cometidas por alunos dentro da sala de aula em 2018. Um número que vem crescendo com força nos últimos anos. Segundo o Laboratório de Pesquisa em Psicologia escolar da USP, uma parte do aumento dessa violência tem a ver com o aumento da falta de perspectiva de melhora de vida nas periferias das grandes cidades. Esse jovem ao se perceber “sem futuro” torna-se violento. Outra causa seria a precariedade do trabalho dos professores estaduais, que produz na juventude a ideia de que o professor é não merece respeito.

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload