© 2017 gru360 / Aqui Guarulhos se encontra em 360 Graus 

FIQUE LIGADO: ABASTECIMENTO DE ÁGUA DE GUARULHOS SOB AMEAÇA DE PRIVATIZAÇÃO, LEI DO TETO DE GASTOS DEVE TIRAR 10 BILHÕES DA SAÚDE EM 2020 E MAIS NOTÍCIAS

October 14, 2019

ABASTECIMENTO DE ÁGUA E SISTEMA DE ESGOTOS DE GUARULHOS SOB AMEAÇA DE PRIVATIZAÇÃO

 A concessão do abastecimento de água, coleta e tratamento de esgotos de Guarulhos, feita para os próximos 40 anos para a Sabesp, pode resultar na entrega destes serviços a uma empresa privada. Isto porque o governo do Estado de São Paulo quer vender a Sabesp para os capitais privados. Junto com ela, o sistema de Guarulhos. Conforme declarações do governador Dória e de seu secretário da Fazenda, Henrique Meirelles, o governo estadual está esperando a aprovação no Congresso Nacional de projeto que altera a legislação atual. Hoje é exigido o controle estatal sobre as companhias de saneamento, como a Sabesp. Apenas é admitido o capital privado como sócio minoritário. O Senado está analisando a mudança para permitir a completa privatização do setor.

 

SEGUNDO O MINISTÉRIO DA ECONOMIA, A SABESP PODE SER VENDIDA POR 44 BILHÕES DE REAIS

Um estudo do Ministério da Economia avaliou que o governo do Estado de São Paulo poderia obter 44 bilhões de reais com a venda da Sabesp (mais de dez vezes o orçamento anual da Prefeitura de Guarulhos). Somente fundos de investimento americanos, canadenses, europeus ou chineses, teriam hoje tanto dinheiro disponível para aplicar na compra da Sabesp e de outras companhias estaduais de saneamento. A maior empresa privada que opera coleta e tratamento de esgotos no Brasil é a Brookfield, um fundo de investimentos do Canadá, que comprou a Odebrecht Ambiental, e passou a se chamar no Brasil de BRK Ambiental. Ela atua em abastecimento de água no município de Limeira em São Paulo, e no sistema de esgotos de Mauá. A privatização do sistema de abastecimento de água no final dos anos 1990 em Buenos Aires na Argentina gerou enorme descontentamento popular, de tal modo que o governo daquele país teve depois que reestatizar o sistema. 

 

ROMPIMENTO DE CABOS PODE DEIXAR REGIÕES DE GUARULHOS SEM INTERNET NESTA SEGUNDA-FEIRA (14)

Um incidente, cuja razão ainda não foi confirmada, danificou cabos de alta tensão da Eletrobrás na região que fica entre Guarulhos e Ibiúna na manhã desta segunda-feira (14) repercutindo em linha de fibra ótica da internet. Junto com a linha de eletricidade, a empresa, que também é controladora da Eletronet, distribui uma rede de fibra ótica responsável por quase toda o transporte de dados de internet no Brasil. Operadoras como Vivo, Tim, Claro e Oi, compram sua capacidade de rede justamente da Eletronet e, por essa razão, muitas pessoas, sobretudo usuários da Oi, poderão ficar sem internet nesta segunda-feira em Guarulhos. 

 

PRIVATIZAÇÃO DA ELETROBRÁS PODE COLOCAR TRANSMISSÃO DE DADOS DE BRASILEIROS NAS MÃOS DE EMPRESAS ESTRANGEIRAS

Atualmente o sistema Eletrobras tem sete anéis ópticos no país, realizados por região em um sistema altamente seguro, forte e com capacidade quase infinita de transmissão de dados, sejam eles quais forem. São 16 mil quilômetros de fibras instaladas interligando dezoito estados no Brasil. A empresa que faz a gestão destas fibras é a Eletronet. Ao privatizar a Eletrobrás, o atual governo federal, como quer em projeto de lei tramitando no Congresso Nacional, estará passando para uma empresa privada, muito provavelmente estrangeira, o controle total da transferência de dados de todos os brasileiros e brasileiras. Isso, somado à proposta de venda do Serpro e da Dataprev, empresas que armazenam dados pessoais de praticamente toda a população brasileira, pode significar tirar do Brasil toda a capacidade de competir no novo cenário do jogo político e econômico mundial. Continue lendo depois da propaganda...

Apoio: 

RELATÓRIO DA ONU DIZ QUE CAPACIDADE DE PROCESSAR DADOS PODE ESTABELECER NOVO COLONIALISMO MUNDIAL

Relatório publicado pela Conferência para Comércio e Desenvolvimento da ONU, aponta que a crescente diferença entre os países na capacidade de processamento de dados fará com que muitos deles, entre os quais o Brasil, corram o risco de se tornarem vítimas de "colonialismo digital" de países como os Estados Unidos, a China, a Rússia, e Israel. No modelo de capitalismo de dados (cibercapitalismo) liderado pelas grandes empresas de tecnologia digital privadas (bigtechs) como Facebook, Google, Tencent, AliBaba, Yandex, Elron, etc, o "produto de baixo valor" que países como o Brasil exportam são os dados crus que seus usuários oferecem gratuitamente nas mídias sociais ou quando usam um Uber ou cartão de crédito. Por sua vez, os "bens acabados" são a análise processada desses dados, que é revendida para grandes empresas e governos. As empresas que controlam esse mercado saem ganhando não apenas ao lucrarem com os dados, mas também se fortalecem politicamente — e se consolidam em uma posição monopolística comparável às companhias marítimas comerciais europeias na época colonial, segundo este relatório da ONU. 

 

LEI DO TETO DE GASTOS DEVE TIRAR 10 BILHÕES DA SAÚDE EM 2020

Criada no Governo Temer, aprovada pela maioria no Congresso Nacional, e endossada no governo atual, a regra do teto de gastos, que estabelece por 20 anos limites para o crescimento do gasto federal, pode impor uma redução de 10 bilhões de reais à área de Saúde em 2020. O cálculo foi feito pelo Ministério da Economia. Na proposta orçamentária de 2020, encaminhada ao Congresso Nacional em agosto deste ano, o governo propôs R$ 122 bilhões para a Saúde. Na regra anterior ao teto de gastos, o piso deveria ser de R$ R$ 132 bilhões. A continuidade desse modelo vai significar o agravamento do atendimento da saúde pública no Brasil, principal queixa atual da população.

Apoio:

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload