© 2017 gru360 / Aqui Guarulhos se encontra em 360 Graus 

FIQUE LIGADO: MÉDICOS DE GUARULHOS ENTRARAM EM GREVE NESTA SEGUNDA-FEIRA (2), MORADORES AFIRMAM QUE AÇÃO NO BAILE FOI RETALIAÇÃO POLICIAL CONTRA JOVENS DE PARAISÓPOLIS E MAIS NOTÍCIAS

December 3, 2019

MÉDICOS DE GUARULHOS ENTRARAM EM GREVE NESTA SEGUNDA-FEIRA (2)

Na última quarta-feira (27), o Sindicato dos Médicos de São Paulo informou que os médicos da cidade de Guarulhos poderiam entrar em greve por melhores condições de trabalho, nesta segunda-feira (2). A paralisação teve início pela manhã, com cerca de 50 médicos fizeram uma manifestação na Praça Getúlio Vargas, no centro da cidade. A adesão à greve não foi informada pelos organizadores da paralisação e não pode ser verificada pela falta de médicos nas UBS, pois em muitas delas essa falta já é comum. A falta de médicos, sobretudo especialistas, é uma das causas da greve. Nesta terça-feira, uma comissão de médicos tem reunião marcada às 14 horas com a Comissão de Saúde da Câmara Municipal e na sequência realizarão um ato político no plenário da Câmara. A paralisação concentrou-se nos serviços de atenção básica das UBS e não nos pronto-atendimentos (PAs) e nem nos hospitais da cidade. 

 

AÇÃO DE PM EM BAILE FUNK PROVOCA A MORTE DE 9 PESSOAS EM PARAISÓPOLIS 

Nove pessoas, sendo uma mulher e oito homens, morreram pisoteadas durante um baile funk na comunidade de Paraisópolis, na Zona Sul de São Paulo, na madrugada deste domingo (1º), depois de uma ação da Polícia Militar. Pelo menos 20 pessoas ficaram feridas, e duas foram internadas. Vídeos gravados por moradores, e que viralizaram nas mídias sociais e foram reproduzidos nos noticiários de grandes emissoras de televisão do Brasil e do mundo, mostram que os PMs atacaram os cerca de 5 mil jovens que participavam do evento, utilizando de cacetetes e bombas de gás lacrimogênio. As pessoas desesperadas foram acuadas pelos policiais em becos sem saída, onde foram vítimas de violências e abusos das autoridades de segurança. 

 

MORADORES AFIRMAM QUE AÇÃO NO BAILE FOI RETALIAÇÃO POLICIAL CONTRA JOVENS DE PARAISÓPOLIS 

Moradores de Paraisópolis afirmam que a favela vinha sendo alvo de operações constantes, abusos e ameaças por parte da PM há exatamente há um mês, desde a morte do sargento Ronald Ruas Silva, em 1º de novembro. A madrugada de domingo não foi diferente: policiais estariam revistando carros e agredindo jovens que admitiam que estavam a caminho do baile funk.  Nenhum morador do bairro confirmou ter visto uma dupla armada de moto atirando na polícia, como afirma a PM. “É mentira. Não houve invasão da Rocam. Eles entraram com viaturas da Força Tática e ficaram nos encurralando e brigando de gato e rato com a gente”, conta uma jovem. Muitos vídeos que circulam pela internet mostram policiais militares nas ruas da favela agredindo indiscriminadamente as pessoas que tentavam deixar o baile. Nenhum único vídeo registra ataques contra os policiais.

 

ESPERA PARA ENTRAR NO BOLSA FAMÍLIA É DE 700 MIL FAMÍLIAS NO PAÍS

Estariam aptas a receber o benefício do Bolsa Família mais 700 mil famíiias. Porém o atual governo federal trancou os novos acessos ao programa, numa época em que a pobreza tem crescido no Brasil. Além disso, na Orçamento de 2020 enviado ao Congresso Nacional são reduzidos 2 bilhões e 50 milhões de reais da verba destinada ao programa. E não há previsão para o 13º benefício, que foi uma promessa da campanha eleitoral do atual presidente da República. O benefício médio que recebem as 13 milhões de famílias pobres no país é de 191 reais por mês. Os dados foram enviados pelo governo atendendo apenas em parte requerimento da Câmara dos Deputados. O governo se negou a informar quantas famílias foram retiradas do programa neste ano para pagar o 13º benefício. Sabe-se que os cortes foram feitos para gerar o caixa que pagaria esta promessa eleitoral às custas de famílias que precisam dramaticamente do programa.

 

EX-PRESEIDENTE DA BOLÍVIA CONTA À FOLHA DE S.PAULO SUA AVENTURA PARA SOBREVIVER NO GOLPE 

Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, publicada nesta segunda (2), o presidente da Bolívia, Evo Morales, derrubado por um golpe de estado no mês passado e agora asilado no México, contou à repórter Mônica Bérgamo como conseguiu se livrar da prisão e da morte. Relatou que, no exercício da presidência e após vencer as novas eleições, um assessor militar lhe relatou que havia recebido uma oferta de mais de 200 mil reais para entregá-lo secretamente à polícia nacional, que participava ativamente do golpe. E que antes, sua residência havia sido invadida pelos golpistas e também a casa de sua irmã. Resolveu então abandonar a Capital indo de avião a uma região indígena. Quase o prenderam no aeroporto de saída e no de chegada. O que o salvou foi a mobilização de apoiadores que o levaram para lugar seguro. A nova aventura foi conseguir acessar ao avião que o levou ao México, onde chegou apenas com a roupa do corpo e uma pequena mala de roupas. Há ainda os que dizem que não houve um golpe de estado na Bolívia.    

Apoio:

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload