© 2017 gru360 / Aqui Guarulhos se encontra em 360 Graus 

FIQUE LIGADO: MÉDICOS DE GUARULHOS LANÇAM PETIÇÃO PÚBLICA CONTRA O DESMONTE DO SUS, MEC ENCERRA PROJETO TV ESCOLA EM MAIS UM ATO DE PERSEGUIÇÃO IDEOLÓGICA E MAIS NOTÍCIAS

December 16, 2019

MÉDICOS DE GUARULHOS LANÇAM PETIÇÃO PÚBLICA CONTRA O DESMONTE DO SUS

Os médicos de Guarulhos, que já estão em greve há duas semanas, lançaram uma petição pública digital contra o desmonte do SUS em Guarulhos. O objetivo é coletar assinaturas para fortalecimento de suas reivindicações junto à Comissão de Saúde da Câmara Municipal e junto à sociedade da cidade como um todo. Na petição que você leitor pode acessar clicando aqui, os médicos apresentam a situação precária em que se encontra a saúde pública do município, aprofundada pela terceirização do Hospital Municipal da Criança e do Adolescente (HMCA) e dos Hospital Municipal de Urgencias (HMU); a saída de médicos motivada pela precarização nas relações de trabalho e a morosidade da Prefeitura na efetivação dos médicos aprovados em concurso público, aprofundando a falta de médicos da cidade; e até mesmo a falta de segurança pública nas unidade de saúde.  

 

DADOS CONFIRMAM O CRESCIMENTO DA VIOLÊNCIA POLICIAL NO BRASIL

Segundo dados divulgados pelas secretarias de segurança dos estados brasileiros, o país teve 30.864 mortes violentas de janeiro a setembro de 2019 – um assassinato a cada 13 minutos, em média. Um número absurdo até mesmo para muitos países em guerra, mas 20%  menor que o registrado no mesmo período de 2018, quando ocorreram 39.527 mortes nos primeiros nove meses. Apesar da queda nos assassinatos em geral, houve um aumento no número de pessoas mortas pela polícia. O Brasil teve no de janeiro a junho deste ano 2.886 pessoas mortas por policiais – 120 a mais que no mesmo período de 2018, sendo que o estado de Goiás se recusou a apresentar estes dados. Estes dados confirmam o crescimento da violência policial já apontada em em outros relatórios. 

 

MEC ENCERRA PROJETO TV ESCOLA EM MAIS UM ATO DE PERSEGUIÇÃO IDEOLÓGICA

A TV Escola foi despejada do prédio do Ministério da Educação (MEC) em Brasília, nesta sexta-feira (13), depois que o governo decidiu encerrar o contrato com a Associação de Comunicação Educativa Roquette Pinto (Acerp), responsável pelo canal.  A saída faz cumprir uma decisão judicial de outubro, movida por ordem do ministro Abraham Weintraub, para que a associação desocupe o escritório. O fim do contrato aconteceu num momento em que a direção da Roquette Pinto se colocou contrária à veiculação na TV Escola da série Brasil: a última cruzada, programa que se propõe a recontar a história a partir da visão de figuras da direita conservadora, como o escritor Olavo de Carvalho e o deputado Luiz Philippe de Orléans e Bragança (PSL-SP), descendente da família real brasileira. Criada em 1995 pelo MEC, o canal tinha como objetivo promover a capacitação e a atualização permanente dos professores do Brasil.

Apoio:

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload